segunda-feira, 31 de julho de 2017

Lançamento Editora José Olympio Maio Junho e Julho 2017

Oi Gente !!!!


Os lançamentos da Editora José Olympio para os meses de Maio Junho e Julho, são poesia, romance, contos e um ensaio literário. Livros que certamente ira te interessarem. A baixo um breve apresentação dos livros:  


Foto: Capa Livro
O mundo não vai acabar
Livro: O mundo não vai acabar
AutorTatiana Salem levy
Comprar: Saraiva Cultura Amazon
Uma coletânea de crônicas com a qualidade dos romances de Tatiana Salem Ley, autora de A chave da casa
O mundo não vai acabar, de Tatiana Salem Levy, é uma coletânea de textos com viés político entrelaçado ao literário, abordando a visão do mundo contemporâneo, tratando das injustiças, das dores e dos conflitos nacionais e internacionais. Tatiana tece uma espécie de entendimento do que estamos vivendo através dos livros, conecta o particular e o universal do mesmo modo que faz em seus romances. A partir de suas leituras vemos um mundo que não se mostra quando estamos entregues à opinião pronta, ao senso comum, ao preconceito da tendência dominante. Tatiana oferece ao leitor novas conexões com o mundo, esse que ela insiste em dizer que não vai acabar. Fonte Editora José Olympio






Foto: Capa livro
O deserto do amor
Livro: O deserto do amor
Autor: François Mauriac
Tradução: Rachel de Queiroz
Comprar: Saraiva Cultura Amazon
O premiado romance de François Mauriac sobre um triângulo amoroso improvável
O deserto do amor retrata o triângulo amoroso do doutor Paul Courrèges e seu filho adolescente, Raymond, pela mesma mulher: Maria Cross. Raymond, no auge dos seus 17 anos, encontra Maria Cross casualmente no bonde. Maria flerta com ele sem saber que o garoto é filho do seu estimado médico, Courrèges, desencantado com seu casamento e também apaixonado por ela.
Publicado em 1925, O deserto do amor mantem-se atual tratando de enfermidades e vícios, da surda inquietação da juventude, das tentações falazes da carne e do ciúme descortinado. Fonte Editora José Olympio







Foto: Capa livro
Pequenos reparos
Livro: Pequenos reparos
Autor: Omar Salomão
Comprar: Saraiva Cultura Amazon
Em Pequenos reparos, Omar Salomão faz nova visita poética aos perímetros do fazer artístico 
Omar Salomão fez o tempo passar devagar para o leitor observar atento os sentidos mais claros, conduzindo o olhar para as sutilezas do dia a dia. Mas não apenas estes reparos povoam os poemas, as fotografias e os desenhos desta compilação. Omar destrinchou a palavra, pois ainda tinha pendente um ofício de reparar: como se alguém precisasse de remendo, de restauro, seus versos são também consertos, voltas. O desejo de reconstruir o que foi atingido por estragos passados. Omar fez de Pequenos reparos um diálogo entre seu trabalho plástico e literário, um artista moldando a linguagem e seus limites. Fonte Editora José Olympio








Foto: Capa livro
Coisas nossas
Livro: Coisas nossas
Autor: Luiz Antonio Simas
Comprar: Saraiva Cultura Amazon
Um presente à cultura popular, do coautor de Dicionário da história social do samba, vencedor do Jabuti de melhor livro de não ficção em 2015 e convidado oficial da FLIP deste ano
Coisas nossas, de Luiz Antonio Simas, é uma reunião de crônicas que celebra a cultura de rua do Rio de Janeiro, em especial da Zona Norte e do subúrbio. Segundo o autor, “os textos são uma espécie de roteiro sentimental de uma cidade que talvez nunca tenha existido, mas que certamente vive em mim”. 
Simas faz de seus textos uma conversa com o leitor, mostrando as trajetórias de gente comum. Em curtas narrativas focadas nos personagens, transita por uma espiral de causos curiosos que envolvem desde Gerson, um dos maiores pipeiros, ao nada comum funcionário exemplar de Dom João.
O autor alinha a paixão pela história e a atração pelo movimento das ruas, pela boemia, e faz destas crônicas um desfile apoteótico: que começa no carnaval e só termina no ano novo.
Esta riquíssima seleção – de fina ironia, irreverência e brasilidade – é um presente à cultura popular. Nela, Simas apresenta um Rio não para chamar de seu, mas para chamar de nosso, de coisa nossa. Fonte José Olympio


0 comentários:

Postar um comentário